Nada a Perder 2 faz sucesso em todo o Brasil

 A continuação do filme de maior bilheteria da história do cinema nacional, Nada a Perder 2: Não Se Pode Esconder a Verdade, estreou no dia 15 de agosto em mais de 800 salas de cinema do País. A cinebiografia, dirigida por Alexandre Avancini, narra a trajetória da Universal desde a saída do Bispo Edir Macedo da prisão, em 1992, até a inauguração do Templo de Salomão, em São Paulo, em 2014. Nesse ínterim, o longa mostra que, apesar de tantas fake news (notícias falsas) a respeito do fundador e líder da Universal propagadas pela mídia, a verdade não pode ficar escondida para sempre.

Para isso, o filme traz à tona os escândalos mais conhecidos envolvendo o nome do Bispo Macedo e revela o que está por trás das reportagens bombásticas produzidas pela imprensa nos últimos 25 anos e que até hoje circulam na internet, como o suposto “chute” na imagem de uma santa católica, o desabamento do teto de um templo da Universal em Osasco, São Paulo, e a contagem do valor das ofertas dos fiéis no final de um culto feita pelo Bispo Macedo.

O ator Petrônio Gontijo interpreta o Bispo Macedo e a atriz Day Mesquita, a esposa dele, Ester Bezerra. Beth Goulart vive Dona Geninha, a mãe do Bispo. O elenco ainda conta com mais de 60 atores e seis mil figurantes. Eles fizeram parte das filmagens não apenas no Brasil, mas também na África do Sul e em Israel. A produção está sob responsabilidade da Paris Entretenimento e a distribuição ficou a cargo da Paris Filmes/Downtown Filmes.

Inspiração
Muitos brasileiros se emocionaram e ficaram impactados com a história revelada no filme. Entre eles os artistas, as autoridades e os convidados que assistiram à pré-estreia, em 13 de agosto, no Teatro Bradesco, zona oeste da capital paulista.

Na ocasião, o ator Petrônio Gontijo, que impressionou o público pelo seu desempenho ao interpretar o Bispo Macedo, estava radiante com o resultado. Ele explicou que o filme revela como o Bispo enfrentou as dificuldades pelas quais passou e confessou que a superação dele o encheu de força. “A forma simples e objetiva com que o Bispo Macedo se porta perante os problemas demonstrados no filme me fortalece, porque também sou uma pessoa que enfrentou muitas dificuldades”, admitiu.

O ator também destacou o reconhecimento que a Universal tem em outros países, que observou ao participar de gravações no exterior. “Tive uma experiência única ao gravar em outros países e pude observar como o Bispo Macedo é querido, de formas diferentes, mas pelo mesmo motivo: a fé.”

Petrônio Gontijo relembrou que, enquanto gravava as últimas cenas na África do Sul, notou que os profissionais envolvidos no trabalho choravam pelo que viam naquele país. “Vimos um povo que, mesmo sendo massacrado por causa da cor da pele, estava ali pela fé e com um sorriso nos lábios. Isso não tem preço”, comemorou.

A atriz Day Mesquita (foto abaixo), que vive pela segunda vez sua primeira personagem no cinema, falou sobre como enxerga a esposa do Bispo Macedo. “Ela tem uma personalidade mais introspectiva. Mesmo assim, Ester passa uma força incrível. A relação dela com o Bispo é de parceria, pois eles estão juntos o tempo inteiro. É um segurando a mão do outro e caminhando juntos. Percebemos com isso que todos temos obstáculos e problemas na vida, mas, quando encontramos um parceiro, alguém para andar junto conosco, conseguimos enfrentar tudo, pois aquela pessoa nos dá força e é isso o que importa”, ressaltou.

Coragem, superação e fé
Presente à pré-estreia, o jornalista André Azeredo (foto abaixo), apresentador do SP no Ar, na Record TV, contou que leu os livros da trilogia Nada a Perder – nos quais o longa-metragem foi baseado – e os achou incríveis. Por isso, quis conferir toda a história nas telonas. Ele comentou as lições aprendidas com o Bispo Macedo: “o que mais chama atenção no caso do Bispo Macedo é sua persistência.

Ele não deixou de acreditar no seu sonho por causa dos problemas que surgiram no caminho. Ao contrário, resistiu, e muito, às críticas, e isso é interessante.”

Ao ser questionado sobre o fato de o filme revelar o outro lado de casos que a mídia não contou, o jornalista enfatiza: “dizem que a história faz justiça, mas, além disso, a história também conta o lado dos vencedores. Em um polo contrário ao do Bispo, tinham pessoas com muito poder, que eram parte da mídia. Por isso, acho que num momento como o que vivemos devemos celebrar que não temos censura a nada e esse filme é um exemplo disso. Na minha opinião, o Bispo Macedo demonstrou muita coragem”, reforçou.

Edna Macedo, deputada estadual e irmã do Bispo Edir Macedo, destacou o que ela viveu por estar próxima do Bispo.

“A segunda parte desse filme esclarece para as pessoas o que realmente aconteceu naquela época. Muitos tinham dúvidas referentes à prisão do Bispo e a todas as perseguições que ele sofreu. Então, é uma oportunidade para que entendam o que de fato aconteceu”, aponta.

Para ela, Nada a Perder 2 desmascara as pessoas envolvidas nas mentiras ditas na época e que foram mal-intencionadas com o Bispo. Contudo salienta também a superação vivida por ele. “Ele acreditava que com Deus iria vencer tudo aquilo. E foi o que aconteceu. Isso é fé”, argumenta.

Combate à mentira
O jornalista Heródoto Barbeiro, que também esteve na pré-estreia, falou que a história mostrada em Nada a Perder 2 é do interesse de toda a sociedade e não somente dos membros da Universal e, por isso, todos devem assistir ao filme. Ele complementou que as fakes news estão sendo combatidas. “Vejo que esse tipo de notícia não se sustenta, pois a mentira tem perna curta. E é bom que as pessoas saibam de fato o que aconteceu na vida do Bispo Macedo.”

Cristiane Cardoso, uma das filhas do Bispo Macedo, acredita que o filme serve de ajuda às pessoas que também são vítimas das notícias falsas. “Talvez você seja vítima de fake news na faculdade, no trabalho ou na escola. O filme vai ensinar você a como lidar com isso. Ele (o Bispo Macedo) lida com isso até hoje. Toda a família passou por isso, mas também superou, porque tinha o Espírito Santo e não se deixou levar pelos comentários.”

Trilha sonora
Cristiane Cardoso participou da trilha musical do filme. A canção oficial, chamada Expressão, foi composta originalmente há 26 anos por ela no piano. Os problemas que ela e o marido, Renato Cardoso, enfrentavam no casamento foram a inspiração para a composição da música. “Naquele momento que eu estava buscando a Deus, orando, comecei a fazer essa música. Eu a tocava nas reuniões na Igreja.” Agora, com letra de Renato Cardoso, a canção recebeu o nome Forte Sou, interpretada pela cantora Juliana Oliveira acompanhada pela Banda Universos. O filme conta com 30 músicas, sendo 29 delas compostas especialmente para o filme pelo músico Otávio de Moraes.

Alcance
Nada a Perder 2 já está mudando a visão distorcida que muitas pessoas tinham da Universal e do Bispo Edir Macedo.

A primeira parte da cinebiografia, Nada a Perder – Contra Tudo. Por todos, que estreou em 29 de março de 2018, vendeu mais de 12 milhões de ingressos em todo o Brasil. O filme alcançou outros milhões de espectadores ao ser exibido em quase 90 países e foi traduzido para mais de 20 idiomas. A exibição aconteceu ainda em presídios, unidades socioeducativas e nos locais mais remotos do País, por meio do projeto Cinema Solidário, que tem como objetivo proporcionar acesso da população carente à cultura.

O Cinema Solidário também percorre muitos quilômetros com o Nada a Perder 2. Só entre os presídios, mais de 1.300 terão sessões com mais de 300 mil detentos podendo assistir ao filme.

Transformação
Nada a Perder – Contra Tudo. Por Todos mudou a vida de muitas pessoas. Uma delas foi a vigilante Elisa Regina de Melo Casemiro, de 49 anos, que estava afastada da Universal quando o filme estreou.

Ela conta que conheceu a Igreja em 1992 e que sua vida, que estava destruída em todas as áreas, começou a mudar positivamente quando ela buscava a Deus. Mas, logo depois, seu marido se afastou da presença dEle e, em seguida, faleceu. Com a morte dele, Elisa voltou para a casa de seus pais e próximo dali não havia nenhum templo da Universal. Então, ela também se afastou de Deus.

Com isso, os problemas do passado acabaram voltando. Ela narra como tudo aconteceu: “casei novamente e até víviamos bem. Mas, mesmo com uma vida próspera, eu sentia um vazio interior. O tempo foi passando e o meu segundo marido também ficou doente e acabou falecendo por causa de uma infecção generalizada.” Depois dessa segunda perda, Elisa passou a cuidar dos três filhos sozinha e não via perspectiva de mudança.

Depois de 20 anos de afastamento da Universal – período em que enfrentou um câncer –, Elisa foi surpreendida por um cartaz no shopping onde trabalhava como segurança. “Quando vi o cartaz escrito Nada a Perder, notei que era a história do Bispo Macedo. Me lembrei de tudo o que tinha passado na época que frequentava a Universal e me recordei das bênçãos que havia recebido”, reconhece.

Ela lembra que enfrentou dificuldades para assistir ao filme, pois os horários não eram compatíveis com os do trabalho. Porém conseguiu assisti-lo no último dia de exibição. “Enquanto eu assistia, chorava muito, pois um dia eu tinha vivenciado aquelas lutas. No final do filme, participei da oração do Bispo e ali pedi a Deus que me ajudasse a voltar para a Sua presença.”

E foi a partir daquele dia que ela retornou à Universal. Hoje, ela está curada do câncer, teve todas as áreas da vida restauradas e, principalmente, vivenciou seu encontro com Deus. Agora, ao assistir à segunda parte do filme, ela se lembrou das perseguições que presenciou no passado.

Sem ser influenciado
Quem também vivenciou esse período foi o jornalista Celso Zucatelli. Ele conta que trabalhou pela primeira vez na Record TV em 1995, justamente na fase dos escândalos. “Eu conhecia a Record de verdade e sabia do cuidado das pessoas e da instituição e minha visão não foi contaminada. Para mim, estava evidente que aqueles bombardeios de manchetes não procediam. Na época eu também trabalhava no jornal O Estado de S. Paulo e falava para os meus colegas que aquilo não era verdade, pois eu estava lá. As pessoas falavam o que queriam e deturpavam a informação.”

Zucatelli ressalta que ao ingressar na emissora tudo o que lia sobre a Universal era negativo. “Vivenciando, entendi o outro lado da história. Quando descobri que essa parte do filme trataria sobre o suposto ‘chute’ na santa fiquei na expectativa, pois vivi aquele momento.”

Ele destaca a importância dos recursos existentes atualmente para eliminar as fake news. “Precisamos assistir a mais de um jornal e ouvir mais de uma emissora para sabermos todas as opiniões e podermos apurar os fatos. Não podemos ter como base de apuração apenas um veículo de informação.”

E você, já tirou suas conclusões? Está no cinema a oportunidade de conhecer o outro lado dessa história de superação. Nada a Perder 2 segue em cartaz pelo Brasil. Garanta seu ingresso no cinema mais próximo ou acesse ingresso.com.

Texto de Maiara Máximo/ Fotos: Demetrio Koch

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *